Postagem em destaque

TORRENTe! +links

Oi gente! Passando pra informar sobre os links do site... LINKS PARA OS DISCOS NOS COMENTÁRIOS DESSE POST Depois de muitas tentativas de ...

2004 - A foreign sound


1. Carioca (The Carioca)
(Edward Eliscu, Gus Kahn, Vincent Youmans)

2. So in love
(Cole Porter)

3. I only have eyes for you
(Harry Warren, Al Dubin)

4. It's alright, Ma (I'm only bleeding)
(Bob Dylan)

5. Body and Soul
(Robert B. Sour, Edward Heyman, John W. Green, Frank Eyton)

6. Nature Boy
(Eden Ahbez)

7. The man I love
(George Gershwin, Ira Gershwin)

8. There will never be another you
(Harry Warren, Mack Gordon)

9. Smoke gets in your eyes
(Jerome Kern, Otto Harbach)

10. Diana
(Paul Anka)

11. Sophisticated Lady
(Duke Ellington, Mitchell Parish, Irving Mills)

12. Come as you are
(Kurt Cobain)

13. Feelings
(Morris Albert, Louis Gaste)

14. Summertime
(George Gershwin, Ira Gershwin, Dubose Heyward, Dorothy Heyward)

15. Detached
(Arto Lindsay, Ikue Mori, Tim Wright)

16. Jamaica Farewell
(Lord Burgess)

17. Love for sale
(Cole Porter)

18. Cry me a river
(Arthur Hamilton)
19. If it's magic
(Stevie Wonder)

20. Something good
(Richard Rodgers)

21. Stardust
(Mitchell Parish, Hoagy Carmichael)

22. Blue skies
(Irving Berlin)

23. Love me tender
(Elvis Presley, Vera Matson)

Versão americana com tracklist alternativo: 
 03 - Always 
12 - (Nothing but) Flowers
13 - Manhattan 

(Link disponibilizado pelo Um Que Tenha)


Comentários
A idéia de fazer A Foreing Sound é muito velha. Na verdade, quando estava em Londres (de 1969 a 72), conversando com amigos, já falava disso e pensava em fazer um CD com repertório anglo-americano quando voltasse ao Brasil. Trinta anos se passaram e a idéia, a forma de fazer ou não este CD, mudou muito.

Há cerca de dez anos fui a Nova Iorque completamente decidido a não fazer mais esse trabalho. Bob Hurwitz, presidente da Nonesuch, me cobrou e eu disse que a idéia não existia mais, que eu a achava sem interesse. Bob insistiu e disse que eu era a única pessoa do mundo que poderia gravar Cole Porter e Bob Dylan num mesmo CD. No avião de volta pro Brasil, pensando na conversa com Bob, me animei. Lembrei de “It’s alright, ma” do Bob Dylan (de onde saiu o título do CD que afinal fiz), pensei em gravar só com voz e cello, com Jaques Morelenbaum fazendo o que Dylan faz no violão e que parece o “Se entrega, Corisco”, de Sérgio Ricardo para Deus e o Diabo. Sempre tive grande intimidade com o repertório anglo-americano, sou fã não só do auge dos anos 20, 30, 40 e 50, mas também do pós rock’n’roll, cujo maior representante é Bob Dylan.

Depois disso, a idéia do disco voltou a esfriar. Fiz Circuladô, e Livro e Prenda Minha e Noites do Norte e Noites do Norte ao vivo. Fazendo A Foreign Sound, sofri muitas vezes por não fazer outras coisas que estava inspirado a fazer. Também virou um pouco lugar-comum para músicos de minha geração visitar a grande canção norte-americana. Há uma espécie de desafio na feitura desse CD. Gravei-o agora porque posso fazer qualquer coisa.

Quando fiz Fina Estampa (1995), já pensava na questão de mexer em uma área de maior poder, que é a língua espanhola. A língua portuguesa é um gueto: embora haja muitos falantes dentro do mundo português, há muitos poucos fora dele. Inglês é muito mais poder do que espanhol. Parece que ambiciono ampliar o mercado, entrar no grande mundo! Tenho ambições até maiores que essa, mas não exatamente essa. Cantar as canções americanas é voltar a pontos de minha vida e da cultura de massas do século XX. Tenho ternura pelo material. Eles produziram a canção pop mais bonita do mundo, todas essas músicas já foram cantadas pelos melhores. O nível de composição e de execução dos americanos é um paradigma para o Ocidente.

A Foreign Sound é um disco atípico – tomei liberdades na seleção, que é alienígena, para quem quer que seja. Não supunha que pudesse fazer nada de relevante. Pode ser que as minhas gravações suscitem algum interesse enviesado. Não espero mais do que isso.
Release do CD “A Foreign Sound”, Abril de 2004

Opinião da casa:

Esse é um ótimo disco de referência. Me lembro que foi Caetano quem me fez prestar atenção e até mesmo gostar de canções na língua espanhola. Até então (e até hoje um pouco) acho uma língua estranha quando falada ou cantada. E foi através de Caetano que consegui achar Fito Paez e (futuramente) Jorge Drexler.

Esse disco pode funcionar da mesma maneira pra quem tem Caetano como ponto de partida e ainda não se aventurou na grande canção americana. Com sobriedade e algum abuso, ele passa por Dylan, Cobain, Porter, Gershwin e todos os grandes. Até o alternativíssimo Arto Lindsay está presente.
Dentre todas as releituras, vale ressaltar as melhores: "There will never be another you", com Gil ao violão, "Love for sale" (a capella!), "Cry me a river" e "Stardust", com Armandinho no bandolim.

5 comentários:

Unknown disse...

Existe uma outra edição (americana?) deste CD que contém 3 faixas que não se encontram na edição aqui disponiblizada: "Always"; "(Nothing But) Flowers"; "Manhattan".
Ver aqui: http://www.amazon.com/A-Foreign-Sound-Caetano-Veloso/dp/B0001LJC6G

Se quiser essas 3 faixas avise.

Fabian Brito disse...

Não consegui baixar essa "Versão Americana", por favor se não for muito incomodo disponibilizem essa versão em um outro site de hospedagem.

Aguardo respostas. Desde já Agradeço.

Fabio Snoozer disse...

Opa, aceito a oferta das três músicas, sou fã de Talking Heads. :)
fabiosnoozer@gmail.com
grato

Anônimo disse...

A discografia não está completa, pois está faltando os Caetano NOVELAS vol. 1 e 2

Por favor disponibilizem estes.

Grato.

Jarilene Lasquéssia disse...

Pôxa, eu queria MUITO as 3 músicas da edição americana desse disco.....